Windows Live Messenger + Facebook

Quadrangular

O EVANGELHO QUADRANGULAR
Jesus Cristo é o mesmo ontem,
hoje e eternamente. (Hebreus 13:8)

Introdução

Muitas pessoas podem nos interrogar acerca do significado do nome EVANGELHO QUADRANGULAR.
Preparamos esta lição para que você aprenda o significado desta expressão, como surgiu, quais são as principais doutrinas chamadas Doutrinas Cardinais do Evangelho Quadrangular.

I – O Evangelho quadrangular

Nasceu no Coração de Deus

Antes da fundação do mundo, o Evangelho Quadrangular nasceu no coração de Deus, pois o Cordeiro de Deus foi morto desde a fundação do mundo (Apocalipse 13.8). Antes do homem ser criado, Deus já sabia de antemão que a humanidade cairia no pecado, portanto, Deus já havia planejado o Plano de Salvação, mesmo antes da criação.

Deus colocou o homem no paraíso para ter vida abundante, em comunhão com o Criador, mas, ao pecar, o homem perdeu esta vida abundante, atraindo para si as maldições, inclusive a morte, maldições estas que atingiram também a natureza (Gênesis 3.16-19).

Portanto, Deus não foi pego de surpresa pelo pecado de Adão. A Trindade Divina, já havia feito o plano para a redenção do homem, antes mesmo de cria-lo. O Criador já havia preparado as provisões para as quatro necessidades básicas do homem: salvação, ressurreição cura e vida eterna. E somente através de Jesus Cristo estas quatro necessidades podem ser supridas.

A Trindade Divina determinou que o ministério terreno de Jesus Cristo tem quatro aspectos principais: Salvação, Batismo no Espírito Santo, Cura Divina e Segunda Vinda de Cristo para dar a vida eterna.


Cristo morreu na cruz, derramando Seu sangue ara salvar nossa alma, ressuscitou ao terceiro dia para vivificar o nosso espírito através do Espírito Santo; também “tomou sobre si as nossas dores e doenças, para que por suas chagas sejamos curados, e por fim, ele voltará para nos dar vida eterna.


Este plano completo de Salvação em Cristo foi revelado através das Escrituras, desde o livro de Gênesis até o Apocalipse. É um plano completo, revelado no Evangelho completo: O Evangelho Quadrangular.

Para decorar:

O Evangelho Quadrangular é o Evangelho ou doutrina que nos dá preceitos espirituais e conhecimento verdadeiro de nosso glorioso Senhor Jesus Cristo, a mais formosa mensagem do mundo, apresentando algo de excepcional e que nos vem satisfazer aos mais altos anseios espirituais.

O Evangelho Quadrangular foi revelado nitidamente no Tabernáculo construído por Moisés, sob instrução divina (Êxodo capítulos 25 ao 31). Depois, foi revelado ao Profeta Ezequiel na visão dos quatro rostos de querubins.

II – O Evangelho Quadrangular nos Últimos Tempos

Como demonstrado acima, o Evangelho Quadrangular nasceu no coração de Deus e foi revelado através das Escrituras Bíblicas. E nos últimos dias, isto é, nestes fins dos tempos, o Evangelho Quadrangular veio por iluminação divina a uma Evangelista chamada Aimee Semple McPherson em 1.922 em Oakland.

Deus mostrou a Aimee o significado destes quatro rostos que foram revelados através do profeta Ezequiel. Nestes quatro rostos estão revelados os quatro aspectos do ministério do Senhor Jesus Cristo.


No ano de 1.922, em Oakland, Califórnia, nos Estados Unidos, a Evangelista Aimee Semple McPherson estava realizando uma conferência sobre a visão de Ezequiel para uma grande platéia de pastores e líderes de diversas denominações. Durante aquela conferência, Aimee, enquanto falava da gloriosa visão celestial de Ezequiel capítulo um, cheia do Espírito Santo, ela contemplava em espírito a revelação do Onipotente. Foi então que percebeu nos quatro rostos, as quatro fases do Evangelho de Jesus Cristo.
Ela viu no rosto de homem o varão de dores morrendo na cruz; no rosto de Leão, viu Jesus, o poderoso Batizador no Espírito Santo. No rosto de boi ela viu Jesus como aquele que carregou nossas dores; e no rosto de águia, contemplou Jesus, o Rei que há de vir para arrebatar a Igreja.
Foi então que Aimee Semple McPherson gritou: É um evangelho completo, perfeito! É o Evangelho Quadrangular”.

A Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular nasceu através do ministério da Missionária Aimee Semple McPherson, mas a mensagem Quadrangular nasceu no Coração de Deus e já estava revelada na Bíblia.

Como organização, a Igreja do Evangelho Quadrangular tem o objetivo de proclamar a experiência e prática da mensagem Quadrangular, recuperando para o Corpo de Cristo, hoje, todos os benefícios e bênçãos desfrutados pela Igreja Primitiva apostólica.

Por cerca de quatorze anos, a Miss. Aimee proclamou a Mensagem Quadrangular, quando, repentinamente recebeu como revelação do Espírito Santo o termo QUADRANGULAR para descrever o Evangelho do Senhor Jesus Cristo. Trata-se certamente do reconhecimento de Jesus Cristo como resposta a toda necessidade do homem. A inspiração veio-lhe quando Aimee estava em Oaklande, Califórnia, em fins de julho de 1.922, durante uma campanha de reavivamento nos Estados Unidos. Ela estava pregando em uma grande tenda de lona para uma grande congregação de pastores e líderes de diversas denominações. Todos estavam atentos à mensagem que Aimee estava pregando sobre Ezequiel 1.10.

Foi assim que o nome Evangelho Quadrangular veio por inspiração à Miss. Aimee, quando ela pregava naquela tenda pra cerca de oito mil pessoas dentro e grandes multidões que estavam ao redor da tenda lotada


O Evangelho Quadrangular, portanto, sempre existiu na Bíblia. Não é uma nova mensagem, mas a mesma mensagem que está nos livros dos quatro evangelistas bíblicos: Mateus, que apresenta Jesus Cristo como o Rei que há de vir; Marcos, que apresenta Jesus como o Servo; Lucas, que apresenta Jesus Cristo como o Filho do Homem; e João, que apresenta Jesus como o Filho de Deus.

III – A Mensagem Quadrangular

O Evangelho Quadrangular é a mensagem que apresenta:

1. Jesus Cristo, o Salvador

Ele é o Salvador para livrar o mundo da maldição do pecado e do engano de Satanás. Lucas apresenta Jesus como o filho do Homem para a salvação da alma (Lc 19.10).

Jesus Cristo como Salvador é tipificado no rosto de homem. Este é o esboço da doutrina da Salvação:

Jesus Cristo Salva

2. Jesus Cristo, o Batizador no Espírito Santo

Ele é o Batizador no Espírito Santo e no fogo para que a Igreja deixe de ser tímida e fraca e pregue o Evangelho com Intrepidez. João apresenta Jesus como o Filho de Deus, para batizar e abençoar o crente (João 1.33-34).

Jesus Cristo como Batizador no Espírito Santo é tipificado no Rosto de Leão. Temos o seguinte esboço para o estudo desta doutrina:

Jesus Batiza no Espírito Santo

3 – Jesus Cristo, o Grande Médico

Para a humanidade adoecida, tanto na alma como no corpo, Jesus é o Grande Médico curador. O Evangelho de Marcos apresenta Jesus como Servo de Deus, para ministrar a cura divina no corpo e na alma do homem (Mc 6.56; 10.45).

Jesus Cristo como Médico dos médicos é tipificado no Rosto de Boi. Temos o seguinte esboço desta doutrina:

Jesus Cristo Cura

4 – Jesus Cristo, o Rei Que Há de Vir

Para o mundo cansado de guerras, lutas, cobiças, ódio e sofrimentos, Jesus é o Rei que traz a verdadeira paz. O Evangelho de Mateus apresenta Jesus Cristo como o Rei que há de vir, para trazer a verdadeira paz ao mundo (Mt 25.31).

Jesus Cristo, como Rei que há de vir é tipificado no Rosto de Águia. Temos o seguinte esboço desta doutrina:

Jesus Cristo Voltará

Esta são as quatro Doutrinas Cardinais do Evangelho Quadrangular.



Biografia de Aimee Semple Mcpherson Hutton
História de vida da fundadora da Igreja do Evangelho Quadrangular

Seu nascimento
Em 9 de outubro de 1890, nasceu aquela que viria a fundar a Igreja do Evangelho Quadrangular. Em Salford, próximo a Ingersoll, em Ontário, Canadá, viviam o Sr. James Morgan Kennedy e sua esposa, a Sra. Elizabeth Kennedy. Elizabeth ficou muito doente, e James publicou um anúncio para contratar alguém para cuidar dela. A Srta. Mildred Ona Pearce, ou simplesmente "Minnie", que tinha 14 anos de idade, aceitou o emprego. Ela era órfã, e filha adotiva de um casal metodista que atuava no "Exército da Salvação", um movimento evangelístico da Igreja Metodista. Algum tempo depois, a Sra. Elizabeth Kennedy veio a falecer, e o Sr. Kennedy, já com 50 anos de idade, tomou à jovem Minnie em casamento. Isso gerou muita confusão no lugar onde moravam, e se sentiram forçados a mudar para os Estados Unidos da América com o fim amenizar o escândalo. A Sra. Minnie Kennedy deu à luz uma filha que recebeu o nome da ex-esposa do seu pai, Elizabeth Kennedy. A menina, muito desenvolta desde muito cedo, adotou para si mesma o nome de Aimee Elizabeth Kennedy



Sua adolescência

Entre 14 e 16 anos, Beth Kennedy tornou-se muito ativa. Ela tinha um profundo desejo em ser atriz, e desenvolveu várias atividades para esse fim. Aprendeu a representar, a dançar, etc. Se interessou pelos programas sociais e recreativos da Igreja Metodista que ela freqüentava, usando seus talentos criativos nas apresentações teatrais da igreja. Cinema, patinação no gelo, romances e bailes foram diversões que atraíram-na até o ponto de seu coração se tornar cada vez mais frio e longe de Deus. Nessa época, conheceu a Teoria da Evolução, o que muito a fascinou. Aimée começou a duvidar da veracidade de suas crenças religiosas, até da existência de Deus.Nessa condição de indiferença ateistica, Aimée não se sentiu feliz. Entre as duvidas e a tristeza por ter discutido com sua mãe, tendo-a magoado com sua descrença, a luta em seu coração era muito grande. Sendo muito perspicaz, poucos religiosos conseguiam debater com ela e vencer. Todas essas questões a distanciavam cada vez mais de Deus, mesmo sendo parte de um lar cristão desde o seu nascimento. Seu pai, frustrado com seu comportamento e pensamentos, procurou soluções para ter sua filha de volta ao caminho da salvação. Uma noite, ela foi para seu quarto, determinada a achar uma solução para suas duvidas. Sem acender a lamparina, ajoelhou-se em frentea janela aberta onde contemplava a paisagem branca, toda coberta de vene. Levantando os olhos para o céu, vendo a lua e as estrelas, pensou: “Certamente deve existir um grande criador que fez tudo isso”. De repente, ergueu os seus braços para o céu e clamou: Oh!

Deus, se há um Deus revele-se a mim. Dentro de 48 horas, Deus respondeu esta oração. No dia seguinte, passando pelo centro da cidade com seu pai, Aimée viu uma placa anunciando cultos de avivamento pentecostal num salão grande. A pedido da filha, o senhor Kennedy levou-a ao culto na noite seguinte. Aimée foi com a intenção de se divertir, mas toda essa frivolidade e zombaria desapareceram quando um jovem pregador, Robert Semple, se levantou e abriu a Bíblia. O evangelista pregou sobre os texto: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2:38)
Depois de explicar o plano da salvação e o que significa arrependimento e fé, o evangelista começou a expor a doutrina do batismo com o Espírito Santo. Ele mostrou que a salvação e o batismo do Espirito Santo devem ser ministrados lado a lado, para que o crente possa viver sua vida na plenitude do plano de Deus. Aimée ficou profundamente convicta de seu pecado. Repentinamente o pregador parou de falar inglês e começou a falar línguas estranhas pelo espírito Santo, com seus olhos fechados e os braços estendidos na direção de Aimée. Em seguida Robert Semple continuou a mensagem em inglês. Não houve interpretação, mas Aimée, que até aquela noite nunca soubera do falar em línguas estranhasm sentiu que era a voz de Deus falando com ela, dizendo: “Tu és pobre perdida e miserável pecadora, merecedora do inferno”. Aimée não agüentou mais e deixou o culto para assistir uma peça de Natal de sua autoria. Ela mesma descreveu os eventos que se seguiram com estas palavras: “Não sei como terminei o ensaio naquela noite, mas eu sei que por três dias lutei com a mais teriivel convicção do pecado e da minha necessidade de Deus. No terceiro dia, sozinha, voltando do colégio em um trenó, a convicção era mais do que eu podia agüentar. Levantando minhas mãos eu clamei em alta voz: Senhor Deus tem misericórdia de mim, pecadora! Imediatamente o peso se foi: glória e alegria subiram do meu coração e transbordavam em louvores através dos meus lábios; lágrimas rolavam pelas minhas faces e eu comecei a cantar: Toma minha vida e deixe-a ser consagrada a Ti, Senhor; toma meus lábios e deixa-os cantar sempre, somente ao meu Rei! Agora já se foramas canções mundanas tocadas pelas minhas mãos; toma meus pés e deixa-os serem ligeiros e formosos para ti; já acabou para mim o salão de baile e tudo o que ele para mi significava”. A conversão e a consagração foram completas. Chegando em casa, Aimée pegou todas as musicas de jazz e juntamente com os romances e os sapatos que usava nos bailes, queimou tudo, explicando a seu pai que veio correndo, que daquele dia em diante ela ia cantar e tocar hinos, e a Biblia seria seu livro.


CHAMADA PARA SERVIR E BATISMO COM O ESPIRITO SANTO



Depois da sua conversão, Aimée passou duas semanas numa alegria impossível de se descrever. Um dia, em oração, ela sentiu que precisava ganhar almas. Começou a procurar na Bíblia o segredo do poder e êxito daqueles que ganhavam almas. Pelo estudo do livro de Atos, ela descobriu que o revestimento do poder para servir era sinônimo de batismo com o Espirito Santo. Desde aquele momento ela começou incessantemente a buscar o Espírito Santo, perdendo muitos dias no colégio, para assistir as reuniões de oração na casa de uma senhora já batizada com os Espirito Santo, que pertencia à Missão pentecostal, onde Aimée ouviu o evangelho. Quando a mãe de Aimée recebeu uma carta da direção do colégio, comunicando o fato de ela estar perdendo muitas aulas, proibiu-a de freqüentar os cultos, chamando o povo da Missão de fanáticos.
Na segunda-feira seguinte, Aimée conseguiu chegar na cidade, apesar da neve que estava caindo. Resolveu não ir ao colégio, mas, passar o dia em oração na casa da irmã da Missão. Elas oraram juntas, pedindo ajuda a Deus, para que Aimée ficasse na cidade até receber o batismo. O Senhor ouviu a oração e a neve começou a cair numa tempestade muito forte. Ela orou o dia todo e quando foi pegar o trem para voltar para casa, descobriu que todos os trens estavam parados e as linhas telefônicas interrompidas e as estradas intransitáveis. Essas condições prevaleceram por uma semana, e Aimée ficou na casa da irmã, passando a maior parte do tempo ajoelhada, orando horas a fio, comendo e dormindo pouco, levantando na madrugada e embrulhada em cobertores, continuava em oração. Na sexta-feira ela ficou na presença do Senhor até a meia-noite. Levantou bem cedo no sábado, antes que qualquer pessoa da casa tivesse acordado, foi à sala, ajoelhou-se, ergueu as mãos e começou a orar pedindoo Esírito Santo, para melhor servir ao Senhor, contando o seu amor para os outros. Em dado momento, uma laegria maravilhosa encheu seu coração, e Aimée com os olhos fechados, viu o mundo como um vasto campo de trigo, já branco para a ceifa. Ainda em oração, o trigo começou a se transformar em rostos humanos, a folhagem em mãos levantadas e, sobretudo, apareceram as palavras do Salvador: “Os campos já estão brancos para a ceifa. A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara”. Naquela noite o Senhor colocou na sua mão uma foice de dois gumes (a Palavra de Deus), e no seu coração soaram estas palavras: “Vais recolher o trigo, mas lembres sempre que a foice te é dada para cortar o trigo. Muitos ceifeiros usam-na corretamente apenas poucas horas, e depois começam a cortar e marcar seus colegas. Aplica-te a tarefa que está perante ti, corte somente o trigo e recolhe os molhos preciosos”.

Essa foi uma lição que a irmã Aimée nunca esqueceu. Apesar das críticas, perseguições e mesmo calúnias terríveis, não procurava se defender, criticar ou ferir os outros.

Naquele mesmo sábado inesquecível, Aimée Kennedy recebeu o batismo com o Espirito Santo, louvando a glorificando ao Senhor numa língua que ela nunca havia aprendido, “segundo o Espirito lhe concedia que falasse”. Era quase meio-dia quando se levantou radiante, após ter ficado muito tempo na presença do senhor, em oração. A tempestade havia cessado, os irmãos da casa entraram na sala e regozijaram-se com Aimée. Ela escreveu mais tarde: “Dentro do meu coração ficaram duas convicções: primeira que o Consolador tinha entrado para ficar e que eu teria que viver andando em consagrada obediência à sua vontade, segunda, que eu tinha recebido uma chamada para pegar o Evangelho Eterno”.

Seu primeiro casamento


Logo após essa experiência maravilhosa, o evangelista Robert Semple, voltou a Ingersoll e no dia 22 de agosto de 1908 casou-se com Aimée (17 anos). Juntos entraram no campo evangelístico, seguindo um programa de trabalho intensivo. Foi nessa fase do seu ministério que Aimée recebeu o dom da interpretação de línguas. Um dia enquanto estava orando no seu quarto começou a falar em línguas, pelo Espírito Santo. Logo ela ficou consciente do fato de poder entender os significados das palavras dadas pelo Espirito. Durante o culto daquela mesma noite, o pastor Rev. Durham deu uma mensagem em línguas e Aimée recebeu a interpretação, mas por causa da timidez, não a pronunciou ao público. Porém, na reunião seguinte, quando uma mensagem em línguas foi dada, com medo de apagar o Espirito, Aimée foi obediente, deixando que através dela. Algum tempo depois assistindo a uma série de conferências, Aimée caiu numa escadaria e fraturou o osso de um dos pés, ficando com os 4 ligamentos completamente soltos a ponto dos dedos serem puxados para baixo apontando a direção do calcanhar. Depois de colocar o gesso, o médico deu pouca esperança de recuperação dos ligamentos e da flexibilidade do pé do tornozelo. Com os dedos do pé inchados, pretos e com muita dor, Aimée foi assistir ao culto da tarde, dirigido pelo Rev. Durham. Não suportando mais a dor, deixou o culto resolvendo descansar no seu quarto, que ficava a um quarteirão de distancia do salão de cultos. Chegando ao quarto, ela ouviu uma voz dizendo: “Se tu embrulhares o sapato do pé fraturado, voltares ao culto e pedires ao Rev. Durham que ore por ti, levando contigo o sapato para calçá-lo na volta, eu curá-lo-ei”. A princípio, ela estranhou um pouco a ideia, mas a voz no seu coração insistiu tanto que finalmente com a ajuda de muletas, voltou ao culto levando o sapato. Chegou tremendo e atordoada porque no caminho a muleta entrou num buraco da calçada, causando aos dedos já sensíveis, uma dor terrível por haverem tocado o chão. Contando aos irmãos reunidos o que Deus tinha falado, e após uns momentos de oração sielnciosa, o Rev. Durham colocou suas mãos no tornozelo dela e disse:”No nome de Jesus Cristo receba a cura”. Instantaneamente ela sentiu quer havia sido curada. O gesso foi tirado e num salto ela colocou-se em pé e começou a andar. Louvando ao Senhor. O testemunho de Aimée foi esse: “Desde aquele dia o poder da cura divinase manifestou vez após vez na minha vida e na vida daqueles que eu tive o privilégio de oferecer a oração da fé”.

Sentiram o chamado de Deus para evangelizar na China, e se prepararam financeira e espiritualmente por 2 anos. Durante esse tempo, Aimeé recebeu dons espirituais e teve extraordinárias experiências com Deus. Partiram dos EUA rumo à China. Antes, porém, visitaram a família de Robert, em Magherafeit, na Irlanda, onde descansaram das muitas tarefas. Em seguida foram para Londres onde se encontraram com o Sr. Cecil Polhill, um milionário cristão, de quem esperavam uma ajuda expressiva (mas que acabaram recebendo apenas $15 - para sua decepção) para sua missão na China. Foi em Londres que, a convite do Sr. Cecil, Aimee fez sua primeira pregação para uma multidão de cerca de 10 mil pessoas.

Enquanto eles ministravam ali, lutando pela causa do Mestre, Aimee engravidou e estava para ter seu filho quando os dois caíram doentes com Malária, e Robert Semple deixou essa vida para viver com Cristo eternamente. Após o sepultamento de seu marido em Hong Kong, Aimée voltou à America com sua filha Roberta Star Semple de seis semanas.

Seu segundo casamento


Estando pouco tempo em Nova York, e com alguns anos de trabalho na ceara do Senhor, cansada, sozinha e querendo um lar para criar sua filhinha, Aimée casou-se com Sr. Harold Stewart McPherson, um vendedor de 23 anos. Eles se apaixonaram e se casaram 1 anos depois da morte de Robert. Em 23 de março de 1913, nasceu ao casal um filho, a quem deram o nome de Rolf Kennedy McPherson. Rolf, após a morte de Aimée, chegou a ocupar a presidência da igreja (Internacional Church of Foursquare Gospel) até o ano de 1988.

Nesse lar seguro e confortável Aimée logo percebeu que não poderia ser inteiramente feliz se não fizesse a vontade de Deus. A voz do Senhor falava em seu coração: “Prega aEstando pouco tempo em Nova York, e com alguns anos de trabalho na ceara do Senhor, cansada, sozinha e querendo um lar para criar sua filhinha, Aimée casou-se com Sr. Harold Stewart McPherson, um vendedor de 23 anos. Eles se apaixonaram e se casaram 1 anos depois da morte de Robert. Em 23 de março de 1913, nasceu ao casal um filho, a quem deram o nome de Rolf Kennedy McPherson. Rolf, após a morte de Aimée, chegou a ocupar a presidência da igreja (Internacional Church of Foursquare Gospel) até o ano de 1988.

Nesse lar seguro e confortável Aimée logo percebeu que não poderia ser inteiramente feliz se não fizesse a vontade de Deus. A voz do Senhor falava em seu coração: “Prega a Palavra. Faze a Obra de um evangelista”. Na intensa luta entre a chamada de Deus e o dever à sua família, Aimée caiu num estado de depressão que ela procurou afastar, dedicando-se mais às obrigações domésticas e ao cuidado com seus filhos. A Escritura que sempre voltava à sua mente era: “E Jonas se levantou para fugir de diante da fece do Senhor para Tarsis”. Aimée não podia negar a chamada de Deus na sua alma. Adoeceu e, gradativamente foi piorando ao ponto dos ruídos da água fervendo ou da conversa baixa tornarem-se insuportáveis. Foi necessária uma operação, mas ela piorou. As complicações resultantes do coração, hemorragias do estômago e nervosismo intenso levaram o médico aconselhar outra operação séria. Aimée adiou a operação por um tempo, na esperança de que Deus ia curá-la, mas, cada vez que pedia a cura, vinham-lhe à mente as palavras do Senhor dizendo: “Tu irás? Pregarás a Palavra?” Um ataque repentino de apendicite, levou-a a mesa de operações, e o seu desespero era tanto, ao ponto de ela pedir a Deus que a levasse dessa terra. Cinco operações foram feitas naquele dia, e nos dias que se seguiram, ela chegou a um estado tão critico, que todos aguardavam a sua morte. Naquela madrugada, no silêncio do quarto do hospital, já com a respiração difícil, Aimée ouviu a voz do Senhor dizendo: “Agora tu irás?” e ela reconheceu perfeitamente que estava indo ao tumulo ou à Seara com o Evangelho. Com pouca força que lhe restava, e em voz inaudível Aimée respondeu: “Sim, Senhor, eu irei.” Naquele momento ela sentiu nova vida no seu corpo e logo a respiração tornou-se fácil e a dor desapareceu. Em quinze dias, Aimée estava completamente recuperada. E interessante observar que muitos crentes oram por sua cura, mas, sem resultado por causa da desobediência a Deus. Porém, no momento em que ela submete-se a vontade de Deus a resposta veio na hora. Restabelecida, Aimée Semple McPherson recomeçou o seu trabalho na Seara do Senhor. Ela voltou ao Canadá, onde na pequena cidade de Mount Forest, realizou a sua primeira campanha evangelística em 1915. Esse foi o inicio de um ministério com dimensões mundiais.

Chegando a Mount Forest, dirigiu-se ao pequeno salão onde ia realizar a campanha. Na primeira noite, irmã McPherson, como era conhecida, ficou desapontada ao encontrar um numero reduzido de pessoas assistindo ao culto. Na segunda noite pregou àquelas mesmas pessoas, que quase dois anos haviam freqüentado os trabalhos. Na terceira noite, antes do culto, ela pegou uma cadeira e dirigiu-se à esquina principal da pequena cidade, a apenas um quarteirão do salão de cultos. Subiu na cadeira, e com os braços erguidos, começou a orar em silêncio. Logo após, ouviu vozes ao seu redor comentando o fato. Ela parou de orar e abrindo os olhos viu um grupo grande de pessoas. Pegando a cadeira, saiu correndo e gritando: ”Depressa, venham comigo”. Todos correram atrás dela, chegando ao salão ela disse ao porteiro: “Quando todos estiverem dentro, feche a porta e não deixe ninguém sair”. Realmente ninguém procurou sair durante a pregação que durou 40 minutos.

Na noite seguinte o salão ficou lotado e muitos não puderam entrar. O problema só foi resolvido com a remoção do culto para uma grande área gramada que ficava atrás do salão. O numero de pessoas que assistia às reuniões cresceu tanto que ultrapassou a 500, e como resultado muitas almas se entregaram a Jesus.

No fim da primeira semana de trabalho ela recebeu uma oferta do povo , com o dinheiro foi a cidade vizinha e comprou uma tenda de lona, já usada. O vendedor (homem desonesto) abaixou o preço, com a condição que não seria necessário tirar a tenda da sacola antes de vendê-la. Quando ela voltou a Mount Forest, e abriu a “Catedral de Lona”, descobriu que estava mofada e rasgada. Foi necessário remendar e limpar a Tenda, que com muito esforço, finalmente ficou pronta. No primeiro culto realizado na tenda, quando Aimée ia começar a pregar, a lona começou a rasgar-se e vinha caindo sobre o povo ali presente, devido ao forte vento. Irma McPherson levantou os braços e orou: “Em nome de Jesus, ordeno que não caia até depois do culto”. Naquele instante a lona ficou presa num prego e não caiu! No dia seguinte um grupo de senhoras da congregação, ajudou a remendar a tenda. Depois de trabalhar o dia todo, irmã McPherson sentiu-se tão cansada, que resolveu cancelar o culto naquela noite. Deixando um aviso na tenda, foi para casa descansar.

Antes de deitar-se tomou a Bíblia e ajoelhou-se para orar e meditar nas escrituras. A Bíblia caiu da cama e quando ela foi pegá-la no chão, percebeu que estava aberta neste versículo: “Qualquer que procurar salvar a sua vida, perdê-la-á, e qualquer que perder a sua vida, por amor de mim, esse a salvará”. (Mt 16:25). Ela entendeu que Deus tinha falado mais uma vez ao seu coração. Levantou-se e imediatamente se preparou para pregar na tenda. Ainda sentia grande cansaço quando subiu ao púlpito, mas, na hora em que se levantou para cantar o primeiro hino, todo o cansaço a abandonou. Depois de muitos anos no ministério ela escreveu este maravilhoso testemunho: “Tem sido assim desde aquela vez. Não importa a fadiga física e mental que els produzem em mim, estou sempre refeita no instante em que fico em pé no púlpito”. O resultado glorioso de sua obediência veio naquela noite, quando dezoito fazendeiros se converteram a Cristo.

As campanhas em tendas de lona nas cidades da orla marítima do Atlântico continuaram até 1918, com o povo, em numero sempre crescente, reunindo-se para ouvir esta extraordinária evangelista. Em junho de 1917 foi lançada a primeira edição da sua revista pentecostal “Bridal Call”, contendo testemunhos e noticias das campanhas, sermões e poesias e outros artigos. Dentro de três meses a revista foi aumentada de uma edição simples de apenas 4 paginas para uma revista mensal de 16 paginas. Atualmente é publicada sobre o nome de “The Foursquare World Advance” contendo noticias da Igreja do Evangelho Quadrangular no mundo inteiro.



As campanhas evangelísticas desses primeiros anos foram marcadas com grandes experiências de fé e maravilhosas vitórias. Foi nesse período que Deus começou a usar Irma McPherson no ministério da cura divina. Uma noite ela pregou sobre o tema “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e será eternamente”, mostrando que ele vive hoje para curar e batizar com o Espirito Santo. A fé foi despertada, e ela viu uma figura patética vindo voluntariamente à frente: uma moça auxiliada por duas pessoas, estava curvada, com o queixo puxado para baixo tocando no peito, pernas e mãos deformadas com artrite reumatóide, chegava apoiando-se em muletas. A moça foi carregada até o púlpito, e assentada em uma cadeira. Em poucos minutos, ela aceitou a Jesus e em seguida, foi batizada com o Espirito Santo. Depois de orar pela sua cura, irmã McPherson, disse-lhe que levantasse as mãos e louvasse o Senhor. Assim ela o fez, e louvando ao Senhor, começou a levantar os braços e as mãos deformadas começaram a endireitar-se. Com os braços libertos e erguidos, ainda louvando ao Senhor, o queixo e o pescoço há tanto tempo endurecidos, foram tornando-se livres, ao ponto dela olhar para o céu. Com isso ela se levantou e apoiando-se com as mãos, começou a andar através da força que suas pernas receberam para sustentá-la. Saiu andando e glorificando ao Senhor.

Numa campanha em Durant, Flórida, novamente Deus provou seu poder na vida de Aimée Semple McPherson. As reuniões foram realizadas num tabernáculo de madeira num local onde não havia eletricidade. A luz de lampiões, querosene e gasolina eram muito fracas para o tamanho do tabernáculo, então, colocaram um aparelho de luz a gás para iluminar o lugar. Uma noite, antes do culto, enquanto irmã McPherson estava fazendo uns ajustes no aparelho houve uma pequena explosão no mesmo, e as chamas atingiram seu rosto. A dor foi tão aguda, que ela, sem pensar nas conseqüências, saiu correndo e colocou o rosto numa bacia com água fria. Ao tirá-lo da água, a dor já intensa, aumentou, e bolhas brancas começaram a se formar. Irmã McPherson ficou andando de um lado para outro sob as árvores, esperando em Deus sempre, enquanto alguém concertava o aparelho danificado. O povo continuava a chegar, mas o inicio do culto já estava atraso, devido ao imprevisto que acontecera com o aparelho. Um senhor que estava combatendo as reuniões e a pregação de cura divina, aproveitando a oportunidade, levantou-se para avisar ao povo que não haveria reunião porque a pregadora da cura divina tinha queimado o rosto. Quando a irmã McPherson soube disso, orou pedindo força e subiu ao púlpito em nome de Jesus. Anunciou um hino com os lábios tão inchados por causa da queimadura, que quase não pode pronunciar as palavras. Terminando a primeira estrofe, ela levantou sua mão e disse pela fé: “Louvado seja o Senhor que me cura e me tira toda dor”.

O povo louvou ao Senhor e instantaneamente, o sofrimento foi aliviado e perante os olhos de todos, o vermelhão do rosto começou a diminuir e as bolhas sumiram. No final do culto, sua pele estava completamente normal e Deus foi glorificado. Na cidade da Filadélfia, 1917, a campanha realizada numa grande tenda, trouxe pessoas de muitas cidades vizinhas que acamparam em tendas pequenas ao redor da tenda de cultos. Na primeira noite, o poder do espírito Santo caiu sobre o povo que clamava a deus pedindo um avivamento. Na segunda noite, o inimigo começou a atacar a obra. O terreno alugado para levantar a tenda, antes havia sido usado como um campo de futebol, por um colégio vizinho, e os moços, ressentidos por terem perdido o campo, começaram a perturbar o culto. Centenas deles cercaram a tenda e cada vez que havia uma manifestação do espírito, eles zombavam e davam gargalhadas. O barulho se tornou tão forte que dentro da tenda era impossível ouvir a voz dos solistas e dos dirigentes que falavam ao povo. Mais tarde, foi descoberto que os jovens esconderam latas de querosene e gasolina para incendiar tudo o que havia no terreno. Enquanto o povo cantava hinos, irmã McPherson orava pedindo orientação ao senhor.

A resposta veio pelo Espirito Santo de deus, dizendo-lhe: “Comece a louvar, porque a alegria do Senhor é a tua força”. Ela começou em voz baixa, com os olhos fechados, mas aos poucos, a sua voz tornou-se mais forte, então clamou: ”Bendize ó minha alma ao Senhor, e tudo que há em mim bendiga o seu santo nome”. O povo sentindo o Espirito também louvou ao Senhor. Irmã McPherson relatou o que aconteceu depois: “Enquanto eu louvava ao Senhor, vi muitos demônios com asas estendidas, semelhantes as de morcegos, entrelaçadas uma a uma, lado a lado, ao redor do Tabernáculo. Mas cada vez que eu dizia: Louvado Seja o Senhor, eu percebia que as forças diabólicas davam um passo para traz até que, finalmente desapareceram entre as árvores”. Ela continuou clamando: Gloria a Jesus! “Aleluia!” Louvado seja o Senhor! De repente viu que no lugar onde as forças diabólicas haviam desaparecido, um grande bloco de anjos, vestidos de branco, estava avançando, também com as asas entrelaçadas e estendidas, e cada vez que se expressava: “Louvado seja o Senhor” eles davam mais um passo à frente. Sem parar, avançavam ao ponto de cercar completamente a orla exterior da tenda de lona. Quando irmã McPherson abriu os olhos, os jovens que perturbavam o culto ainda estavam presentes, mas todos quietos, com os olhos atentos e olhando pra ela. Houve uma atenção perfeita durante a pregação, muitos aceitaram a Jesus como Salvador, e nos outros cultos, eles voltavam trazendo os doentes e aflitos para que recebessem a oração da fé.

As viagens transcontinentais (1918-1923)


Em 1918, Aimée Semple McPherson iniciou uma nova fase do seu ministério. Ela fez sua primeira viagem transcontinental, da orla do Atlântico até a cidade de Los Angeles, atravessando o continente norte-americano com seu carro que tinha pintados em letras douradas os seguintes dizeres: “Jesus está voltando, se prepare!”. Acompanhada pelo casal de filhos, com sua mãe e uma secretária, irmã McPherson corajosamente pegou a direção do carro e enfrentou chuva, neve, tempestades terríveis, lama e montanhas na sua viagem de 6.400 km. Pregando e distribuindo milhares de folhetos, ela se dirigiu à cidade de Oklahoma, ponto intermediário no seu itinerário para Califórnia. Antes de lá chegar, recebeu um telegrama avisando-a que todas as igrejas de Tulsa estavam fechadas por causa de muitas mortes resultantes da epidemia de gripe. Em oração, o Senhor falou com ela dizendo: “Não temas, continues a viagem, e quando chegares ali, as igrejas estarão abertas”. Quando chegou a Tulsa, num domingo pela manhã, ouviu os sinos de muitas igrejas. Perguntando a razão de tudo isso, irmã McPherson descobriu que a cidade de Tulsa estava regozijando-se pela reabertura de suas igrejas naquele mesmo dia.

Entre 1918 e 1923, irmã McPherson atravessou os EUA por oito vezes, realizando 38 campanhas evangelísticas nos maiores auditórios do país. Esses auditórios tinham capacidade de 3000 a 16000 pessoas sentadas, e muitos chegaram a receber a salvação e a cura em Jesus, para serem batizados com o Espirito Santo.

Uma das grandes campanhas dessa época foi realizada na cidade de Denver, no Estado do Colorado, no auditório municipal com capacidade para 15000 pessoas. O auditório estava sempre lotado, e a cada noite milhares que chegavam não podiam entrar. Uma noite o numero excedentes chegou a 8000! Muitos se esconderam nos banheiros após o culto à noite como garantia de que no dia seguinte haveria lugar para assistir o culto matinal. O numero de conversões era tão grande que houve culto em que quase a metade dos ouvintes se levantava para aceitar a Jesus. Havia sempre um lugar para os cegos e paralíticos, 150 pessoas sobre macas foram colocadas numa área que ficava em frente ao grande palco. Por duas horas e quarenta e cinco minutos, irmã McPherson foi de maca em maca orando pelos doentes, individualmente. Um repórter escreveu o seguinte relatório do culto: “Foi literalmente um reavivamento de corpos doentes. Pessoa por pessoa, uma após a outra, levantou-se da maca, e erguendo as mãos e o rosto para o céu declarava sua cura”.

Outra campanha de grandes dimensões aconteceu em San Diego, na Califórnia. Os cultos foram realizados num ginásio de esportes reservado para lutas de boxe, onde na véspera da campanha, a irmã McPherson conseguiu no intervalo da luta, licença para fazer o aviso da campanha. Durante cinco semanas a cidade foi abalada e o numero cresceu tanto que foi necessário reservar uma parte do ginásio para pessoas com convites especiais. Isso foi feito para dar oportunidade a mais pessoas de assistirem aos dois cultos diários. Grandes lojas pediam convites para seus funcionários, entidades civis e militares também fizeram o mesmo. Cada noite era um grupo diferente que assistia ao culto. Não era possível orar por todos os doentes que chegavam, por que o ginásio, com uma capacidade para 3000 pessoas, ficou pequeno demais. Finalmente, conseguiram um lugar para a realização dos cultos de cura divina ao ar livre, na grande concha acústica do Parque de Balboa (somente por dois dias), um lugar para exposições e feiras, semelhante ao Parque do Anhembi, em São Paulo. Depois de marcada a campanha especial, a cidade foi convocada para oração e jejum. Na véspera, 700 carros chegaram e seus ocupantes aguardavam o inicio dos trabalhos, dormindo nos próprios carros. Muitos chegaram a pé empurrando cadeiras de rodas ou carregando os doentes em macas. As 10:30, Irmã McPherson deu inicio ao culto, depois de alguns hinos e testemunhos maravilhosos, ela pregou sobre a cura dupla – do pecado e da doença. Daí ela e um grupo de ministros começaram a orar pelos enfermos. Foi uma fila continua o dia todo. Eles oraram desde cedo até o pôr do sol, ocupando apenas quinze minutos para u lanche. A policia estimava que, conforme a hora do dia, havia uma assistência que variava entre 10.000 a 30.000 pessoas durante o dia todo. No dia seguinte, Deus continuou os milagres de salvação e cura no nome de Jesus.

Veja algumas imagens em San Diego:


O ministério de Aimée Semple McPherson tornou-se internacional em 1922, quando ela realizou uma campanha na Austrália. Mais tarde, ela levou o Evangelho a muitas outras nações. O ministério da irmã McPherson foi marcado por uma paixão imensa pelas almas. A mensagem de salvação recebeu ênfase, seguida de sinais e prodígios. Nessas campanhas de salvação e cura divina, a mensagem do Espirito Santo também foi proclamada. No final dos cultos, outro culto de oração era realizado com aqueles que estavam buscando o batismo com o Espirito Santo, o qual, muitas vezes, durou até 5 ou 6 horas do dia seguinte.

A Rádio

Aimée se tornou a evangelista mais famosa dos EUA, assim pelo poder da sua mensagem como pela ousadia nos modos de divulgar a Palavra. Dezenas de milhares de pessoas foram alcançadas para Cristo através do seu ministério. Aimée Semple McPherson consagrou a rádio KFSG, em 06/02/24. Era a primeira rádio pertencente a uma igreja nos Estados Unidos, e a terceira emissora em Los Angeles. Ainda hoje a KFSG proclama a palavra de deus através da musica evangélica e mensagens, 24 horas por dia. Além do seu ministério de pregação e ensino, Aimée Semple McPherson também foi a autora de vários livros, de 105 hinos e 13 óperas consagradas, tudo feito para exaltar o Nome da Pessoa do Senhor Jesus Cristo.



A IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR


Durante a grande campanha na cidade de Oakland, na Califórnia, nos anos de 1922, Aimée Semple McPherson foi inspirada a chamar sua mensagem de “QUADRANGULAR”. Esta lhe foi revelada enquanto pregava sobre a visão de Ezequiel, dos quatro querubins com quatro rostos que simbolizavam o quádruplo ministério do senhor Jesus Cristo: “O SALVADOR, O BATIZADOR COM O ESPIRITO SANTO, O GRANDE MÉDICO E O REI QUE HÁ DE VOLTAR”. A sua mensagem nunca mudou, mas recebeu nova ênfase quando ela começou a proclamá-la com o nome dado por Deus, “O EVANGELHO QUADRANGULAR”.

No mesmo ano, em Los Angeles, Aimée Semple McPherson comprou um terreno e começou a construção do Templo Sede Internacional (Angelus Temple). Foi um passo de fé, porque ela tinha apenas 5.000 dólares e a planta do templo que Deus lhe dera. No dia 1º de Janeiro de 1923, com capacidade para mais de cinco mil pessoas, o templo foi consagrado. Irmã McPherson dirigia pessoalmente 21 cultos por semana, e as novas dependências do templo já não podiam acomodar a multidão que chegava em massa para ouvi-la. Nos primeiros cinco meses, mais de sete mil pessoas encontraram a salvação em Jesus e 1.200 foram batizadas nas águas. Mais tarde a fundadora escreveu o seguinte comentário: “O fato de nós enfatizarmos a importância da salvação das almas perdidas em nossas reuniões, junto com a manifestação do espírito Santo, para realizar milagres, levou o Angelus Temple a ser conhecido como ‘A IGREJA DO AVIVAMENTO CONTÍNUO’ durante os primeiros três anos abençoados”.


Aimée sempre foi fiel à visão de evangelização mundial que Deus lhe deu. Trinta e três dias depois da consagração do Templo Sede Internacional, no dia 06 de Fevereiro de 1923, os primeiros alunos de Treinamento Evangelístico e Missionário iniciaram os seus estudos. Em menos de 2 anos, o numero cresceu tanto que foi necessário realizar as aulas num salão que comportava 500 pessoas. O numero aumentou até que, em 1926, foi inaugurado um edifício de 4 andares para uso do Instituto Bíblico (LIFE BIBLE COLLEGE), dedicado ao ensino da Palavra de Deus, e ao preparo de Obreiros. Nos primeiros cinco anos, a média era de 1.000 alunos preparando-se e estudando para a obra do senhor.


‘ORAI SEM CESSAR”, diz a Bíblia e, obedecendo esse mandamento, Aimée consagrou uma sala do templo para esse fim. No dia 18/02/23, com uma equipe de 368 pessoas, cada um orando um período de 2 horas por semana, a sala de oração começou a funcionar, com homens orando durante as 12 horas da noite e as senhoras nas 12 horas do dia. Desde então têm sido continua 24 horas por dia, com uma media de 13.000 pedidos mensais que chegam de diversos lugares do mundo. Deus continua a responder a oração da fé com milagres e maravilhas.

Aimee na Grande Depressão Americana


Em 1929, intensificou-se a depressão econômica nos EUA. Aimee criou o Sopão para aliviar a fome de muitos famintos desempregados. Foi atrás de doações e conseguiu cobertores, alimentos e roupas para aliviar a situação de milhares de necessitados. Chegou a conseguir máquinas de costura para empregar alguns. Arranjou médicos e dentistas para atender aos mais carentes. Em 1930, Aimee pregava mais de 20 sermões por semana, gravava óperas, fazia programas de rádio, escrevia hinos e livros.

SUA MORTE

No início da década de 1940, Aimée estava emocional e fisicamente abatida. Passou a tomar anti-depressivos ou tranqüilizantes para dormir. Sua muita atividade a deixava exausta e passou a ter dificuldades para descansar. Em setembro de 1944, viajou para Oakland para pregar e para inaugurar mais um templo Quadrangular. Na noite do dia 26 de Setembro 1944, Aimée tomou vários comprimidos para dormir e deixou outros tantos em baixo do seu travesseiro. Diz-se que ao se sentir mal, tentou ligar para o médico, mas não conseguiu completar a ligação. Foi encontrada morta no dia seguinte, em seu quarto. O laudo dizia "falha múltipla de rins e outros órgãos devido a uma overdose acidental". Seu ministério terminou em 27/09/44, enquanto ela estava em plena campanha em Oakland, a mesma cidade onde recebeu a visão do Evangelho Quadrangular. Seu filho, Rolf Kennedy McPherson, assumiu a liderança dessa grande organização.



Aimée Semple McPherson deixou-nos uma grande herança de vida cheia de amor e de realizações espirituais. Cabe a nós, agora, a responsabilidade de dar continuidade a este maravilhoso ministério, pregando e ensinando com fé o Evangelho Completo, o “Evangelho Quadrangular”:




Jesus Cristo Salva
Jesus Cristo Cura
Jesus Cristo Batiza com o Espirito Santo

Jesus Cristo Voltará!






DECLARAÇÃO DE FÉ


Compilada por: AIMEE SEMPLE McPHERSON, fundadora da Igreja (Internacional) do Evangelho Quadrangular. Traduzido do original DECLARATION OF FAITH por Anísio S. Dametto - Curitiba - PR. (As referências usadas são da Edição Revista e Corrigida e Revista e Atualizada).

IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - Uma corporação - Interdenominacional em espírito, evangélica na mensagem, internacional no projeto - composta pela união de fiéis que se congregam para a promoção da causa do evangelismo no mundo e, para a pregação do Evangelho Quadrangular do Reino: Jesus Salvador, Batizador, Médico e Rei que voltará.

AS SAGRADAS ESCRITURAS

Cremos que a Bíblia Sagrada é a Palavra do Deus Vivo; Verdadeira, imutável, firme, inabalável, como seu autor, o Senhor Jeová; que foi escrita por santos homens do passado, conforme eram movidos pelo Espírito Santo e por Ele inspirados; que ela é uma lâmpada acesa para guiar os pés de um mundo perdido, desde as profundezas do pecado e tristeza até as elevações da honradez e da glória; um espelho claro que revela a face de um Salvador crucificado; uma linha de prumo a tornar reta a vida de cada indivíduo ou comunidade; uma afiada espada de dois gumes para convencer do pecado e maldade; um forte elo de amor e ternura para levar os arrependidos a Cristo Jesus; um bálsamo de Gilead, sob o sopro do Espírito Santo, que pode curar e vivificar todo o coração desfalecente; único sustentáculo verdadeiro da comunhão e unidades cristãs. Apelo de amor de um Deus infinitamente amantíssimo; advertência solene, trovejar distante da tempestade e da ira e retribuição que cairá sobre os desatentos; uma seta apontada para o céu; um sinal de perigo que adverte quanto ao inferno; o divino, supremo e eterno tribunal por cujos padrões todos os homens, nações, credos e argumentos serão julgados.

A DIVINDADE ETERNA

Cremos que só há um Deus vivo e verdadeiro: autor do céu e da terra e tudo o que neles há; o alfa e o ômega; que sempre foi, é, e será pelos tempos sem fim, amém; que ele é infinitamente santo, poderoso, terno, amoroso e glorioso; digno de todo amor possível e honra e obediência, majestade, domínio e poder, assim agora e para sempre; e que a unidade da Divindade se constitui triplicemente em consonância perfeita para com toda a perfeição divina, executando funções distintas mas harmoniosas, no grande trabalho da redenção:

O Pai - Cuja glória é tão inexcedivelmente brilhante que o homem mortal não pode contemplar Sua face e ainda viver, mas, cujo coração foi tão transbordante de amor e piedade pelos seus filhos perdidos e vítimas do pecado que Ele, voluntariamente, deu Seu Filho Unigênito, para redimí-los e reconciliá-los consigo mesmo.

O Filho - Co-existente e Co-eterno com o Pai que, concebido pelo Espírito Santo e nascido da Virgem Maria, assumiu a forma de homem, suportou nossos pecados, e levou nossas tristezas e, pelo derramamento de Seu precioso sangue sobre a cruz do calvário, adquiriu a redenção para todos os que n’Ele creiam; então, quebrando os grilhões da morte e do inferno levantou-se da sepultura e subiu às alturas levando cativo o cativeiro, para que, como o grande Mediador entre Deus e o homem, pudesse estar à direita do Pai intercedendo por aqueles por quem entregou a sua vida.

O Espírito Santo - A terceira Pessoa da Divindade, o Espírito do Pai derramado, Onipotente, Onipresente, realizando uma missão indizivelmente importante sobre a terra, convencendo de pecado, de justiça e de juízo, levando pecadores ao Salvador, rechaçando, rogando, buscando, confortando, guiando, vivificando, glorificando, batizando e revestindo de poder do alto a todos àqueles que se entregam às suas sagradas ministrações, preparando-os para o grande dia do aparecimento do Senhor.

A QUEDA DO HOMEM

Cremos que o homem foi criado à imagem de Deus, diante de quem Ele andava em santidade pureza mas que, por voluntária desobediência e transgressão, caiu da pureza e da inocência do Éden às profundezas do pecado e iniquidade, e que, em consequências disso, toda humanidade é constituída de pecadores vendidos a Satanás - pecadores não por compulsão, mas por escolha, caracterizados pela iniquidade e inteiramente desprovidos por natureza, daquela santidade exigida pela lei de Deus, decididamente inclinados ao mal, culpados e sem justificativa, justamente merecendo a condenação de um Deus justo e Santo.

O PLANO DE REDENÇÃO

Cremos, que sendo nós ainda pecadores, Cristo morreu por nós - o Justo pelo injusto - espontaneamente, e por eleição do Pai, tomando o lugar de pecadores, levando seus pecados, recebendo sua condenação, morrendo sua morte, pagando inteiramente suas faltas, e assinando, com o sangue de sua vida, o perdão de todos aqueles que haveriam de n’Ele crer; que, simplesmente pela fé a aceitação da expiação adquirida no Monte do Calvário, o mais vil pecador pode ser limpo de suas iniquidades e tornado mais branco do que a neve.

Onde é ensinado nas Escrituras

Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Is. 53:5.

O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras. Tt. 2:14.

Deixe o ímpio o seu caminho e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus; porque grandioso é em perdoar. Is. 55:7.

Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. Hb. 7:25.

Vinde então, e argüi-me , diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã. Isa. 1:18.

SALVAÇÃO PELA GRAÇA

Cremos que a salvação dos pecadores é inteiramente pela graça, que não temos justiça alguma ou bondade em nós mesmos, por onde procurar o divino amparo, havendo que lançarmo-nos, portando, à inabalável misericórdia e amor daquele que nos comprou e nos lavou no seu próprio sangue, clamando os méritos e a justiça de Cristo o Salvador, firmados na sua palavra e aceitando o livre dom de seu amor e perdão.

Onde é ensinado nas Escrituras

Pela graça sois salvos. Ef. 2:8

Não há um justo, nem um sequer. Rm, 3:10

Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Rm. 3:23

Mas todos nós somos como o imundo; e todas as nossas justiças como trapo de imundícia; e todos caímos como a folha, e as nossas culpas como um vento nos arrebatam. Is. 64:6

Em verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. João 6:47

Mas agora em Cristo Jesus, vós que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Ef. 2:13

Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor. Rm. 6:23

ARREPENDIMENTO E ACEITAÇÃO

Cremos que, pelo sincero arrependimento, verdadeira tristeza pelo pecado, e verdadeira aceitação do coração para com o Senhor Jesus Cristo, aqueles que O invocam podem ser justificados pela fé, através do seu precioso sangue e que, em vez da condenação, podem obter a mais bendita paz, segurança e amparo com Deus; que, com braços abertos de perdão e misericórdia o Salvador espera para receber, em contrição não fingida e súplica por misericórdia todo arrependido que queira abrir a porta do seu coração e aceitá-lO como Senhor e Rei.

Onde é ensinado nas Escrituras

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de todas injustiça. I Jo. 1:9

Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. Rm. 5:1,2.

Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Rm. 8:1.

Para dar ao seu povo conhecimento da salvação na remissão dos seus pecados, pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, com que o oriente do alto nos visitou, para alumiar aos que estão assentados em trevas e sombra de morte, a fim de dirigir os nossos pés pelo caminho de paz. Lc. 1:77-79.

E o que vem a mim, de maneira nenhuma eu o lançarei fora. Jo. 6:37.

O NOVO NASCIMENTO

Cremos que a mudança que se efetua no coração e na vida, por ocasião da conversão, é absolutamente real; que o pecador é então nascido de novo, de maneira gloriosa e transformadora tal, que as coisas velhas são passadas e tudo se faz novo; de tal modo que coisas anteriores desejadas são agora desprezadas, enquanto coisas outrora aborrecidas são agora respeitadas e sagradas; e que tendo sido agora a ele imputada a justiça do redentor e recebido do Espírito de Cristo, novos desejos, novas aspirações, novos interesses e uma nova perspectiva da vida, do tempo e da eternidade, enchem o coração lavado no sangue, de modo tal que o seu desejo se torna, agora, abertamente confessar e servir ao Mestre, sempre procurando as coisas que são de cima.

Onde é ensinado nas Escrituras

Que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. João 3:3

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. II Co. 5:17.

Se vós fosseis do mundo, o mundo amaria o que era seu mas, porque não sois do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece. Jo. 15:19.

Já estou crucificado com Cristo: e vivo, não mais eu, mas cristo vive em mim: e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim. Gl. 2:20 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus. Rm. 3: 24,25

Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, e nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Sl. 1: 1,2

VIDA CRISTÃ DIÁRIA

Cremos que, tendo sido limpos pelo precioso sangue de Jesus Cristo e, tendo recebido o testemunho do Espírito Santo na conversão, é desejo de Deus que nos santifiquemos diariamente e, nos tornemos participantes de sua santidade crescendo constantemente, cada vez mais fortes na fé, poder, oração, amor e serviço; primeiramente, como crianças desejando leite não falsificado, neste mundo; depois como homens fortes vestindo toda a armadura de Deus, marchando avante para novas conquistas em seu nome, ao abrigo do seu estandarte de sangue; vivendo sempre uma vida paciente, sóbria, não egoísta, segundo Deus, a qual representa um verdadeiro reflexo de Cristo em nós.

Onde é ensinado nas Escrituras

Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação. I Ts. 4:3. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo, e todo o vosso espírito e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Ts. 5:23

Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor do Senhor. II Co. 7:1

Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. Pv. 4:18

Pelo que, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição. Hb. 6:1

Porque os que são segundo a carne, inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Rm. 8:5

E ali haverá um alto caminho, um caminho que se chamará o caminho santo. O imundo não passará por ele, mas será para aqueles: os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão. Is. 35:8 (I Pe. 2:2).

BATISMO E SANTA CEIA

Cremos que o batismo nas águas, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, de acordo com o mandamento de nosso Senhor, é um sagrado sinal exterior de uma obra interior; um belo e solene símbolo a lembrar-nos de que, assim como nosso Senhor morreu sobre a cruz do Calvário, assim também contamo-nos como mortos para o pecado, e a velha natureza com ele pregada no madeiro; e que, assim como ele foi descido do madeiro e sepultado, assim nós somos sepultados com ele pelo batismo da morte - para que, assim com o Cristo foi levantado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos em novidade de vida.

Cremos na comemoração e observância da ceia do Senhor pelo sagrado uso do pão partido, um precioso tipo de Pão da vida - Jesus Cristo, cujo corpo foi partido por nós; e da seiva da videira- um maravilhoso tipo a lembrar sempre o participante, o sangue derramado pelo Salvador, que é a videira verdadeira, da qual seus filhos são as varas; que esta ordenança é como um glorioso arco-íris a transpor a amplidão do tempo entre o Calvário e a vinda do Senhor, quando no Reino do Pai ele compartilhará novamente da companhia de seus filhos, e que o servir e o receber este sagrado sacramento deve ser sempre precedido pelo mais solene exame do coração, autocrítica, perdão e amor para com todos os homens, para que ninguém participe indevidamente e beba condenação para sua própria alma.

Onde é ensinado nas Escrituras

Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Mt. 28:19 (também At. 10:47,48, Gl. 3:27,28)

De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Rm. 6:4 (Também Cl. 2:12; I Pe. 3:20,21; At. 22:16)

De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas. At. 2:41 (Também Mt. 28:19,20)

Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. I Co. 11:26. Examine-se pois o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. I Co. 11:28 e II Co. 13:5

O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

Cremos que o batismo no Espírito Santo é o recebimento do prometido Consolador, em poderosa e gloriosa plenitude, a fim de revestir o crente com poder do alto; para glorificar e exaltar o Senhor Jesus; para dar uma palavra inspirada em testemunho dEle; para promover o espírito de oração, santificação e sobriedade para capacitar o indivíduo e a igreja a ganhar almas de maneira eficiente, prática, alegre, cheio do Espírito; e que, sendo esta ainda a dispensação do Espírito Santo, tem o crente todo direito de esperar o seu recebimento da mesma maneira pela qual o receberam judeus e gentios igualmente, nos dias bíblicos, conforme se encontra registrado na Palavra, de modo que possa ser dito de nós o que foi com respeito à casa de Cornélio; o Espírito Santo caiu sobre eles, no princípio, assim como em nós agora.

Onde é ensinado nas Escrituras

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. Jo. 14:16,17

Porque, na verdade, João batizou com água. Mas vós sereis batizados com o Espírito Santo... Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. At. 1:5,8

E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem. At. 2:4

Então lhes impuseram as mãos e receberam o Espírito Santo. At. 8:17

e dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviram a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo de derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar em línguas, e magnificar a Deus. At. 10:44-46

E, impondo-lhes as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam. At. 19:6. Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? I Co. 3:16

A VIDA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO

Cremos que, sendo o Espírito Santo como um vento poderoso e veemente, como línguas de chamas vivas, que podem sacudir e convulsionar comunidades inteiras para Deus, ele é, também, como uma delicada pomba, facilmente ofendido e magoado pela impiedade, frieza, vãs conversações, jactância e espírito de crítica ou julgamento, bem como pensamentos e ações que desonrem o Senhor Jesus; e que é, portanto, vontade de Deus que vivamos e andemos no Espírito, momento a momento, sob o precioso sangue do Cordeiro, a pisar respeitosa e suavemente na presença do Rei, sendo pacientes, amorosos, verdadeiros, sinceros, de oração, não murmuradores, estando a tempo e fora de tempo servindo ao Senhor.

Onde é ensinado nas Escrituras

E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria e blasfêmias e toda a malícia seja tirada entre vós. Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. Ef. 4:30-32. Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto, com toda a perseverança e súplica por todos os santos. Ef. 6:18

Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Rm. 12:1,2

Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou. I Jo. 2:6

Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. Gl. 5:16,25

Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. I. Co. 3:17

OS DONS E FRUTOS DO ESPÍRITO

Cremos que o Espírito Santo tem os seguintes dons a serem concedidos à Igreja crente e fiel ao Senhor Jesus Cristo: a palavra de sabedoria, palavra de conhecimento fé, operação de maravilhas, dons de curar, profecia, discernimento, línguas, interpretação que, conforme o grau de graça e fé de quem os recebe, são repartidos a cada um diversamente, segundo a vontade do Espírito; que eles são dignos de serem mui avidamente desejados e buscados, na ordem e proporção em que mais sejam edificantes e benéficos à Igreja; e que o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, longanimidade, mansidão, bondade, benignidade, fé, temperança, deve ser manifesto, cultivado e cuidadosamente guardado como adorno resultante de uma vida cheia do Espírito e evidência constante, eloqüente e irrefutável disso.

Onde é ensinado nas Escrituras

Acerca dos dons espirituais não quero, irmãos, que sejais ignorantes. Portanto, procurai com zelo os melhores dons. I Co. 12:1,31. Mas um só e o mesmo Espírito opera estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer. I Co. 12:11; 14:12

Assim também vós, como desejais dons espirituais, procurai abundar neles, para edificação da igreja. I Co. 14:12. Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento. Rm 11:29

Deu modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria. Rm. 12:6-8

Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. João 15:8

E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se ao fogo. Lc. 3:9

MODERAÇÃO

Cremos que a moderação do crente deve ser notória a todos os homens; que sua experiência e proceder diários jamais o levem a extremos, fanatismos, manifestações escandalosas, calúnia, murmurações; mas que, sua sóbria, experiência cristã seja de uma firme retidão, sensatez, humildade, auto-sacrifício e conforme a Cristo.

Onde é ensinado nas Escrituras

Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor. Fl. 4:5

Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina. Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é cabeça, Cristo. Ef. 4:14,15

Caridade não se porta com indecência. I Co. 13:5

Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão longanimidade, suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros; se algum tiver queixa contra o outro, assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. Cl. 3:12,13

CURA DIVINA

Cremos que a cura divina é o poder do Senhor Jesus Cristo para curar os enfermos e os aflitos, em resposta à oração sincera; que Ele, sendo o mesmo ontem, hoje e para sempre, jamais mudou; mas é, ainda, um auxílio plenamente suficiente na hora da dor, capaz de saciar as necessidades, vivificar o corpo, a alma e o espírito a uma novidade de vida, em resposta à fé daqueles que oram com submissão à sua vontade divina e soberana.

Onde é ensinado nas Escrituras

Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças. Mt. 8:17

Pois qual é mais fácil? Dizer: perdoados te são os teus pecados, ou dizer, levanta-te e anda? Mt. 9:5

E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios, falarão novas línguas, pegarão nas serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. Mc. 16:17,18

Enquanto estendes a tua mão para curar e para que façam sinais e prodígios pelo nome do teu santo Filho Jesus. At. 4:30

E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Tg. 5:15

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO

Cremos que a segunda vinda de Cristo é pessoal e iminente; que ele descerá do céu nas nuvens de glória com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus. E que, nesta hora, a qual ninguém sabe antecipadamente, os mortos em Cristo se levantarão, e os remidos que estiverem vivos serão levados acima, junto com eles, nas nuvens a encontrar o Senhor nos ares, para estarem sempre com o Senhor. E, vendo nós também, que mil anos são como um dia para o Senhor, e que ninguém sabe a hora do seu aparecimento, o qual cremos estar iminente, cada dia deve ser vivido como se Ele fosse esperado aparecer antes de findar o dia. Todavia, em obediência à sua ordem categórica "trabalhai até que eu venha", a obra de propagação do Evangelho, o envio de missionários e as obrigações gerais para a edificação da igreja devem ser promovidas tão ampla e diligentemente como se nem a nossa geração nem a vindoura fosse viver em carne para que pudesse ver aquele glorioso dia.

Onde é ensinado nas Escrituras

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com ele nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. I Ts. 4:16,17

Renunciando a impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos nesse presente século sóbria, justa e piamente. Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo. Tt. 2:12,13

Porém, daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente meu Pai. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mt. 24:36,42,44

Assim, também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação. Hb. 9:28

Negociai até que eu venha. Lc. 19:13

Estejam cingidos os vossos lombos e acesas as vossas candeias, e sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu Senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe. Bem aventurado aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá. Lc. 12:35-37

RELAÇÕES PARA COM A IGREJA

Cremos que, tendo aceitado o Senhor Jesus Cristo como Salvador pessoal e Rei, e tendo assim nascido na família e no corpo invisível da Igreja do Senhor, é sagrado dever do crente, quanto esteja em seu poder, identificar-se com a visível Igreja de Cristo sobre a terra, e trabalhar com o maior entusiasmo pela edificação do Reino de Deus; e que essa Igreja visível é uma congregação de crentes que se tem associado entre si, em cristã comunhão e na unidade do Espírito, a observar as ordenanças de Cristo, adorando-O na beleza da santidade, falando uns aos outros em salmos e hinos e cânticos espirituais, lendo e proclamando sua palavra, trabalhando pela salvação das almas dando dos seus meios temporais para promover a sua obra, edificando, encorajando; exortando uns aos outros na mais santa fé e trabalhando harmoniosamente juntos, como filhos diletos que, embora muitos, são um só corpo, do qual Cristo é o cabeça.

Onde é ensinado nas Escrituras

Louvai ao Senhor. Louvarei ao Senhor de todo o coração, na assembléia dos justos e na congregação. Sl. 111:1

E consideremo-nos uns aos outros para estimularmos à caridade e às boas obras; não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros e tanto mais, quando vedes que se vai aproximando aquele dia. Hb. 10:24,25

De sorte que as igrejas eram confirmadas na fé, e cada dia cresciam em número. At. 16:5. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. At. 2:47

Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. Rm. 12:5 (Também ver Rm. 12:6,7,8)

Aqueles que temem ao Senhor falam cada um com o seu companheiro, e o Senhor atenta e ouve; e há um memorial escrito diante dele, para os que temem ao Senhor, e para os que se lembram do seu nome. E eles serão para mim particular tesouro; poupa-los-ei como um homem poupa a seu filho, que o serve. Mt. 3:16,17

GOVERNO CIVIL

Cremos que o governo civil é de indicação divina, para a promoção da boa ordem na sociedade humana e dos interesses da mesma; e que se deva orar pelos governantes e administradores, devendo eles ser obedecidos e apoiados em todo tempo exceto, somente, nas coisas contrárias à vontade de nosso Jesus Cristo, o qual é soberano da consciência do seu povo, Rei dos reis, e Senhor dos Senhores.

Onde é ensinado nas Escrituras

E as potestades que há foram ordenadas por Deus... porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Rm. 13:13. (Também Dt. 16:18; IISm. 23:3; Ex. 18:21-23; Jr. 30:21)

Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. At. 5:29. E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo. Mt. 10:28 (Também Dn. 3:15-18; 6:7-10; At. 4:18-20)

Porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo. Mt. 23:10

E no vestido e na sua coxa tem escrito este nome: rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Ap. 19:16. (Também Sl. 72:11; Sl. 2; Rm. 14:9-13

O JUÍZO FINAL

Cremos que os mortos, tanto humildes como poderosos, serão ressuscitados e estarão como os vivos perante o trono de julgamento de Deus; e que, aí, uma solene e terrível separação se dará, em que os maus serão condenados à punição eterna e os justos à vida eterna; e que esse julgamento estabelecerá para sempre o estado final dos homens, no céu ou no inferno, em princípios de justiça, conforme é manifesto na Sua santa Palavra.

Onde é ensinado nas Escrituras

Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. IICo. 5:10

Mandará o Filho do Homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o Sol, no reino do seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Mt. 13:41-43, Hb. 9:27

O CÉU

Cremos que o céu é a habitação indescritivelmente gloriosa do Deus vivo; e que para lá foi o Senhor a fim de preparar um lugar para seus filhos; que, para que essa cidade quadrangular, cujo construtor e realizador é Deus, os crentes mais fervorosos, que lavaram suas vestiduras no sangue do Cordeiro e venceram pela espada do seu testemunho, serão levados; que o Senhor Jesus Cristo os apresentará ao Pai, sem manchas ou tristezas; e que lá, em alegria indizível eles contemplarão, para sempre, sua face maravilhosa, num reino eterno onde não há trevas, nem há necessidade de luz, nem tristeza, nem lágrimas, nem dor, nem morte, mas hostes de anjos servidores dedilham suas harpas, cantam os louvores do nosso Rei e, reverenciando perante o trono, proclamam: "Santo, Santo, Santo".

Onde é ensinado nas Escrituras

Mas, como está escrito: as coisas que o olho não viu e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. I Co. 2:9

Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim eu vô-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. João 14:2

E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor os alumia; e reinarão para todo o sempre. Ap. 22:4

E Deus limpará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas. Ap. 21:4

Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com sua sobra. Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede; nem sol nem ardor algum cairã sobre eles. Porque o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará; e ele servirá de guia para as fontes das águas de vida; e Deus limpará de seus olhos toda a lágrima. Ap. 7:15-17

O INFERNO

Cremos que o inferno é um lugar de trevas exteriores e da mais profunda tristeza, onde o verme não morre e o fogo não se apaga; um lugar preparado para o Diabo e seus anjos, onde haverá choro e pranto e ranger de dentes, lugar de amargura e eterno arrependimento por parte daqueles que rejeitaram a misericórdia, o amor e a ternura do Salvador crucificado, escolhendo a morte em vez da vida; e que ali, em um lago que queima com fogo e enxofre serão lançados os descrentes, os abomináveis, os criminosos, os feiticeiros, os idólatras, os mentirosos, e os que rejeitaram e desprezaram o amor e sacrifício de um Redentor banhado em sangue, deixando atrás a cruz para sua perdição, apesar de toda instância e advertência do Espírito Santo.

Onde é ensinado nas Escrituras

Mandará o Filho do Homem e seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade. E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. Mt. 13:41-42.

E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo. Ap. 20:10,15

Também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E o fumo do seu tormento sobe para todo o sempre; e não tem repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele , e aquele que receber o sinal do seu nome. Ap. 14:10,11

Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Mt. 25:41. E, se a tua mão escandalizar, corta-a; melhor para tia é entrares na vida alijado, do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga, onde o seu bicho não morre, e o fogo nunca se apaga. Mc. 9:43,44.5

Vivo eu, diz o Senhor Jeová, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas que o ímpio se converta do seu caminho e viva. Convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois por que razão morrereis, ó casa de Israel? Ez. 33:11

EVANGELISMO

Cremos que, à vista do fato de que todo o presente estado de coisas passará, e que o fim de todas as coisas é iminente, os filhos remidos do Senhor Jeová devem levantar-se e brilhar como uma luz que não pode ser escondida, uma cidade edificada sobre um monte, espargindo o evangelho aos confins da terra, cingindo o globo com a mensagem da salvação, declarando com zelo e entusiasmo ardentes todo o conselho de Deus; que, quando o Senhor da glória aparecer, eles serão achados de pé, tendo seus lombos cingidos com a verdade, suas atividades e seus mistérios ricamente compensados com a abundância de jóias que ganharam e guardaram para ele - as almas preciosas - conduzidas das trevas para a luz, através do instrumento de seu fiel testemunho; que ao ganhar almas é a atividade por excelência da igreja sobre a terra; e que, portanto, toda opressão ou embaraço que vise a extinguir a chama ou prejudicar a eficiência na pregação mundial do evangelho, deve ser eliminada e não admitida, como indigna da igreja, prejudicial á sacratíssima causa de Cristo e contrária à grande comissão do Senhor.

Onde é ensinado nas Escrituras

conjuro-te pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redargüas, repreendas, exortes, com toda longanimidade e doutrina. II Tm. 4:1,2

Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Ef. 5:16

O que ganha almas sábio é. Pv. 11:30

Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados. Tg. 5:20

Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra, e os avisarás da minha parte. Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; não o avisando tu, não o falando para avisar o ímpio acerca do seu caminho ímpio, para salvar a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua maldade, mas o seu sangue da tua mão o requererei. Ez. 3:17,18

Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa. E o que ceifa recebe galardão, e ajunta o fruto para a vida eterna, para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem. Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e o outro o que ceifa. Jo. 4:35-37

DÍZIMOS E OFERTAS

Cremos que o método estabelecido por Deus para manter o seu ministério e promover a propagação do evangelho, conforme sua ordem é o dízimo, o qual é acatado por nossas igrejas internacionalmente, não só como sendo o método de Deus para prover quanto às necessidades materiais e financeiras da sua igreja, mas, para soerguer a moral espiritual do seu povo de tal sorte que Deus haja por força abençoá-los. Somos ordenados em Ml. 3:10: "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, depois, fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas dos céus e não derramar sobre vós uma bênção tal que dela vos advenha a maior abastança. "

No tocante a "dar" e "ofertas voluntárias" é ordenado pelo Senhor e praticado em todas as nossas igrejas, internacionalmente, como parte do plano de Deus para atender às necessidades materiais da igreja e satisfazer a espiritualidade do seu povo. Somos admoestados em Lucas 6:38 - "Daí, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deleitarão no vosso regaço, porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo".

Sendo co-herdeiro com ele, sabemos que dar para o seu reino - que é, também, nosso - é algo agradável, sendo mais abençoado dar do que receber, pois somos ordenados em II Co. 9:7 - "Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade, porque Deus ama ao que dá com alegria."

MEMBROS

Os candidatos a membro devem, primeiramente, ser examinados quanto a sua fé, sendo feita oração juntamente com os mesmos e, nessa ocasião, encorajados no seu propósito. Deve o candidato mostrar evidência de possuir genuína experiência de novo nascimento, ser batizado por imersão em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e viver uma vida cristão que sirva de exemplo tanto para pecadores como para convertidos, possuindo um grande desejo em ganhar almas e amor quanto ao progresso da causa do Evangelho Quadrangular no mundo, devendo declarar sua lealdade a esta associação e disposição em auxiliar na sua manutenção, tanto com seus recursos particulares como com seu esforço conjugado. Cada candidato, como tal, expressará seu reconhecimento quanto ao fato de que "uma casa dividida contra si mesma não pode subsistir" e a sua adesão á linha desta associação, para que não haja deslealdade, insubordinação, murmuração, críticas ou calúnias contra a mesma, ou contra seus dirigentes; e, se em algum tempo, qualquer membro sentir que não está mais sendo leal ou tenha perdido a simpatia para com esta associação e, bem assim, não seja mais, como outrora, uma voz unânime para com ela, pedirá o mesmo uma carta de demissão e, discretamente, se retirará do rol de membros, reservando-se às autoridades da associação o direito de induzi-lo a assim proceder, caso se prolongue em abster-se disto; que o amor pelas almas e a paixão por ganhá-las deve ser a grande base e supremo fim para o qual sejam conduzidos todos os esforços, e que idéias marginais e concepções não essenciais, bem como ocupar-se em discutir sutilezas entre doutrinas, coisas essas que tendem a quebrar a unidade e distrair da chama ardente do ganhar almas - devem ser evitadas e refutadas onde quer que se apresentem, que Cristo deve ser a figura central a ser mostrada, até que todos os homens O vejam, O amem, e dEle se aproximem.

Todos os direitos reservados pelo Departamento Histórico da Igreja do Evangelho Quadrangular. Ao reproduzir qualquer parte deste site favor citar a fonte.

pr.iloir@gmail.com