Windows Live Messenger + Facebook

sábado, 28 de agosto de 2010

Volta de Cristo

A época da vinda de Cristo

Com relação à época da sua vinda, Jesus disse; "Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai" (Mt 24:36).
Jesus também declarou: "E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim" (Mt 24:14). Quando a igreja em Tessalônica ficou confusa com a idéia de que a grande tribulação já tivera início, Paulo exortou-a a não se perturbar tão facilmente: "...porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia...(o anticristo)" (2 Ts 2:3). Por outro lado, Jesus advertiu: "Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor" (Mt 24:42). Embora haja indicações claras de que a volta do Senhor não ocorreria senão depois de um período extenso de evangelização, a igreja foi ensinada a ficar pronta para a aparição do Noivo Celestial a qualquer momento (Mt 24:44,48,50; 25:13; Mc 13:35-37; Tt 2:12,13; Jo 3:3). A igreja certamente não ficará sentada, aguardando passivamente por um dia estabelecido que findará esta dispensação.
De qualquer modo, esperar pelo dia do Senhor não significa cruzar os braços, antes, pelo contrário, colocar nossa mão no arado e na foice.


Pastor Iloir Silva
pr.iloir@yahoo.com.br

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Restituição

Uma palavra sobre restituição

Adoração é uma barreira que inibe os planos de satanás, por isso a primeira coisa que ele procura fazer é retirar nossa adoração.

Apesar de estar localizado quase no centro da bíblia, o livro de Jó foi escrito antes do período dos patriarcas. Naqueles dias o sacrifício de animais e as primícias da colheita eram a forma primária de adoração.

Jó tinha a pratica constante de oferecer sacrifícios em favor de seus filhos (Jó 1:5). Quando Deus permite que o diabo o prove, este estende sua mão sobre os seus bois, suas ovelhas, suas jumentas e seus camelos. Na cultura do Antigo testamento, isso significava que Jó havia perdido a sua capacidade de adorar, pois não tinha mais rebanhos de animais para oferecer a Deus. (Jó 1:14-17).

Somente depois de tirar sua capacidade de adorar, foi que satanás estendeu sua mão sobre seus filhos, tirando assim uma de suas motivações para adorá-lo. (Jó 1:18 e 3:25-26)

Se traçarmos um paralelo entre a adoração no antigo testamento, a adoração no novo testamento, a soberania de Deus e as ações de satanás, baseados nos 2 primeiros capítulos de Jó, com certeza vamos dar uma fortalecida bem consistente no que hoje enxergamos como adoração a Deus. Porém neste mês vamos abordar um outro assunto.

Vamos refletir um pouco sobre a resposta de Jó. Acompanhem comigo o texto na Bíblia.

(Jó 1:20) “Então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou”

(Jó 1:21) “e disse: RESTITUI, EU QUERO DE VOLTA O QUE É MEU”

Percebemos que não foi isso que ele clamou.

E ai?

Não é minha intenção aqui ir de encontro a nenhuma música ou ministério, muito pelo contrário, também creio que Deus restitui. Mas gostaria de lembrar aos irmãos 3 fatos importantes:

1º -“ Nada temos que do céu não nos seja dado” (João 3:27).

2º - O diabo só toca em algo, que Deus nos permitiu ter, se o próprio Deus assim o permitir.

O texto mais usado hoje em dia para se falar sobre restituição é Joel 2:25. O texto é bem claro quanto a promessa de Deus no momento em que Ele diz: “RESTITUIR-VOS-EI os anos consumidos...”. Porém, o texto também é bastante claro quando Deus diz: “o MEU exército, que EU ENVIEI contra vós”.

3º - RESTITUIÇÃO REQUER COMPROMISSO. Se Deus permitiu que algo fosse tirado de nós, é porque este algo estava de alguma forma impedindo nosso relacionamento com Ele e nosso crescimento espiritual.

Creio nas promessas de Deus. Porém existem 2 tipos de promessas na bíblia. As condicionais e as incondicionais.

Salvação, por exemplo, é uma promessa incondicional. A única coisa que temos que fazer é crer.

Restituição, por exemplo, é uma promessa condicional. Temos que crer, mas também temos que ter uma atitude de compromisso para com Deus.

Deus está sempre pronto a cumprir a parte dEle em suas alianças. Porém, se quisermos que Deus faça a parte dEle, devemos também fazer a nossa. Deus só tem compromisso com quem tem compromisso com Ele. Não podemos clamar ao Senhor por restituição se não damos a Ele uma posição de honra em nosso viver diário.

Nossa intimidade com Deus deve ser prioridade. Nosso tempo reservado para Deus tem que ter qualidade. Nosso tempo com Deus não pode se limitar a ser um espacinho em nossa agenda. Lembre-se: “Sempre temos tempo para aquilo que damos prioridade”.

O que tem sido prioridade em nossas vidas? Jesus nos ordena em Mateus 6:33 “Buscai (imperativo) primeiro o reino de Deus e a sua justiça e todas as demais coisas vós serão acrescentadas”.

A restituição do que perdemos está incluída na lista divina de “demais coisas”.

“Os planos que foram embora, o sonho que se perdeu” também estão incluídos na lista divina de demais coisas.

Firmados em Cristo e cheios do Espírito Santo recebemos a paz que excede todo o entendimento e podemos com autoridade confrontar as circunstâncias com a ousadia de Jó. “Deus deu, Deus tirou, bendito seja no Teu santo nome” (Jó 1:21)

Com discernimento sobre a restituição de Deus, podemos não só clamar “RESTITUI”, como também “TE LOUVAREI NÃO IMPORTAM AS CIRCUNSTÂNCIAS” conforme Filipenses 4:12. “Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade”.


Pastor Iloir Silva
pr.iloir@yahoo.com.br

domingo, 8 de agosto de 2010

Morte espiritual

Morte espiritual
A morte espiritual é a separação de Deus, tanto neste mundo quanto no vindouro. Por exemplo, Adão "morreu" como resultado de sua desobediência, de acordo com a advertência de Deus:".. porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás" (Gn 2:17). Todavia, sua morte (exclusão do jardim) não consistiu num óbito físico imediato, embora tivesse início seu estado de mortalidade; a morte dele foi a morte espiritual. Quando Jesus disse: "...deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos" (Mt 8:22), Ele queria dizer: "deixe que os mortos espiritualmente sepultem os fisicamente mortos"; por espiritualmente mortos Ele se referia àqueles separados de Deus pela incredulidade. Escrevendo aos efésios, Paulo disse: "Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados" (Ef 2:1). Como pecadores, eles se encontravam antes num estado de "morte" espiritual; ao se entregarem a Cristo, foram vivificados. Quando o indivíduo entra em comunhão com Deus através da fé em Cristo, ele passa da "morte para a vida" (1 Jo 3:14; Jo 5:24).
No julgamento final dos incrédulos, que terá lugar diante do “grande trono branco do juízo", após os mil anos (milênio), os mortos perversos ainda existirão e se postarão perante Deus para serem julgados. Embora possam suportar o juízo, seu estado é chamado de "morte" por estarem afastados de Deus (Ap 20:13-15). (Veja também Ap 3:2,3; 1 Tm 5:6.)


Pastor Iloir Silva
pr.iloir@yahoo.com.br